Os dados preliminares do IBGE mostram que 6.980.378 de pessoas moram sozinhas, o que equivale a 12,2% dos domicílios particulares permanentes do país. No censo anterior, eram 4.085.568 de indivíduos e representava 9,1% do total.

Entre 1996 a 2011, o número de pessoas que vivem sozinhas no mundo foi de 153 milhões para 277 milhões, um aumento de 80% - pesquisa do Euromonitor International. Esse fenômeno tem diversas razões, das quais, o aumento do poder aquisitivo, e a expansão da internet e das redes sociais, que permitem estar conectado aos familiares e amigos mesmo quando se está sozinho, além de acesso aos sites de compras (e-commerce).

A Nielsen, provedora global de informações sobre o que o consumidor assiste e compra, aponta que as pessoas que vivem sozinhas tendem a consumir produtos mais caros. Lares que têm indivíduos morando sozinhos gastaram 36% a mais do que a média no Brasil no consumo de sobremesas prontas, exemplifica a empresa.

A Market Analysis, instituto de pesquisa e opinião pública, apresentou estudo sobre os hábitos de consumo das pessoas que vivem sozinhas. O resultado mostra que esse grupo é composto por consumidores mais exigentes, que buscam melhores preços, concordando em adquirir produtos mais caros (80%).

A atividade relacionada ao lazer mais citada foram as compras (42 %). Passeios a bares e restaurantes correspondem a 42% contra 21% da população em geral. Refeições constantes em redes de fast food significam 36% dos entrevistados. Desse grupo, 45% afirmaram consumir bebidas alcoólicas e 66% revelaram comer doces e chocolates. Os moradores solitários são responsáveis por 40% do consumo de produtos embalados individualmente, complementa a empresa.

Pesquisas de mercado encomendadas pela Sadia apontaram as classes A e B como maioria do público com comportamento single, que está disposto a pagar por porções menores, e produtos de preparo prático e rápido.

A empresa não é a única na conquista desse nicho de mercado. A Sakura, por exemplo, já lançou vários produtos que atendem o segmento, tais como: sopas instantâneas individuais e diversos molhos para os alimentos.

O ramo imobiliário também está sentindo alguns impactos no aumento do mercado dos que vivem sozinhos, que buscam prédios e condomínios que apresentem boa infraestrutura, com ofertas de serviços, e apartamentos com arquitetura requintada e que priorizem as áreas sociais.

A rede de lavanderias Qualittá ofereceu, durante um tempo, promoções especiais para esse público. Enquanto os consumidores em geral procuravam a empresa apenas para a lavagem de roupas delicadas, aqueles que vivem sozinhos costumavam frequentar o estabelecimento semanalmente, deixando também as roupas do dia-a-dia.

Outro bom exemplo é o da Coca-Cola que disponibiliza a embalagem de 600 ml.

Artigo publicado em site exclusivo para mulheres que moram sozinhas sugere lista de compras, relacionando as necessidades e o consumo: iogurte (1/dia); suco de caixinha (3/semana); leite (8 caixinhas/mês); pão de forma (1 pacote/semana); cream cheese, margarina ou requeijão (1 pote/mês); massas (3 pacotes/mês); frutas variadas (1/dia); molhos (3 unidades/mês); carnes cortadas e embaladas para preparo individual (150g de alcatra picada para strogonoff, 150g de frango em cubos e 150g de filé de patinho para grelhar); peito de peru, presunto ou queijo (500g/mês); refrigerantes (3 unidades/mês); salgadinhos (3 pacotes/mês); pratos congelados (2 pacotes/semana).

Milhares de empresas disponibilizam congelados, porções individuais e outros produtos para esse nicho da população. Não é difícil encontrar mercados que vendem frutas e legumes higienizados, descascados e prontos para o consumo. Outra opção para quem mora sozinho são os pratos industrializados. Atualmente, as opções vão desde pizza e lasanha até pratos mais elaborados. A lista dos congelados vendidos em supermercados inclui também vegetais e sanduíches, que precisam apenas ser aquecidos em micro-ondas ou forno convencional.

Destaque também para os serviços especializados, tais como: empresas de limpeza e manutenção; sites de relacionamento; agências de viagens; e até mesmo um chaveiro 24 horas.

No setor da hotelaria, os flats passarão a ser uma excelente opção para aqueles que moram sozinhos por conta das facilidades oferecidas aos hospedes.

A indústria de eletrodomésticos, em particular aqueles da linha branca (geladeiras, lavadoras, micro-ondas, etc.), também tem as suas ações de promoção e marketing voltadas para aqueles que moram sozinhos.

Os hortifrutis aparecem como uma nova opção para esse nicho de mercado.

Inicialmente, o conceito de delivery ganhou popularidade com a entrega de pizzas, porém, hoje, abrange um leque mais amplo de produtos e serviços. Sem sair de casa, o consumidor pode fazer compras de supermercado; encomendar remédios; alugar filmes; ter o cabelo cortado por profissionais dos melhores salões. Atualmente, faz parte de uma nova geração do e-commerce.

O pay per use - desde levar o bicho de estimação para um passeio, até receber uma massagem tranquilizadora, tudo sem sair de casa, – é o ideal para quem mora sozinho. Enfim, os consumidores do segmento single buscam ser bem tratados, receber atendimento personalizado e têm tolerância menor a erros.

O evento também estará voltado para os homossexuais. No caso dos domicílios com renda mensal entre 10 e 20 salários mínimos, o percentual de casais gays nessa faixa de rendimento chega a ser o triplo do registrado para os lares comandados por pessoas de sexos diferentes, segundo o próprio IBGE (censo 2010). Portanto, o perfil de consumo é quase o mesmo!

Portanto, trata-se de um mercado em plena expansão, gerando bilhões de reais em negócios!

FENACC - Feira Nacional de Consumo de Conveniência